24 de julho de 2018

Árvore de Vida

ÁRVORE DE VIDA

e nem é que não ame, amo, as virtudes
naturais ou de civilização, e as fragilidades, suas irmãs,
mas do inferno sonhar o nosso maior sonho,
o melhor sonho, é uma respiração funda, claríssima,
que nenhum abismo colhe, ali quando, entre camadas
de nada, nada, nada,
se chama à existência o que nunca foi -
e isto de crucificar a razão à verdade,
faz cair demónios e lança estrelas ao céu da manhã.
O hierofante és tu
quando, sem pompa sem adornos sem poder,
és um e pões a mesa para dois,
e sorris ao lugar ainda vazio,
árvore inequívoca, és tu,
e hão-de existir pássaros só para pousar
na vida dos teus ramos.