1 de agosto de 2015

Ai de ti se me deixas, vou contigo, ouviste?!

ALMOFADA AMOROSA AMEAÇA

Estava uma almofada decorativa
no raio da montra. Tinha bordada
em perfeita caligrafia inglesa a frase,
if you leave me, i'll go with you.
Há uma tragédia iminente
no discurso amoroso, mesmo decorativo e
cheio de leve humor - ah a leveza…
Uma frase não é uma frase,
é um estado anímico, é um estado químico,
é orgânico, é social, é toda a experiência
individual de amar em ponto cruz.
É um verso.
Eu não é um pronome pessoal
na primeira pessoa do singular,
eu é plural e tem tu dentro e
nem assim somos dois,
e nem assim somos nós
numa afinadíssima voz,
e nunca mais somos um,
o descanso de ser um acabou,
a natureza multiplicativa do amor
é uma horrível subtracção à paz
de ser só por muito que some beijos
e outros artigos de mercearia fina.
Ai de ti se me deixas!, vou contigo, ouviste?!
Maldita gramática. Maldita aritmética.
Maldita poética de vitrine.