14 de abril de 2015

No que não se vê

CREDO

Creio nos cães
e nas mentiras das crianças,
creio nas mães
e no amor feroz pelas crias
sejam filhos ou filhas,
portanto, de modo geral,
creio no mundo animal.
Creio nas coisas feitas
contra toda a razão,
e por isso só juro pela ficção.
Creio na paixão,
na pintura, na música,
no cinema, na poesia,
portanto, creio na alegria.
Creio no que não sei como.
Creio no sim sem saber porquê,
portanto, creio, acima de tudo,
no que não se vê.