12 de janeiro de 2016

Balneário

BALNEÁRIO

Vista num grande plano, 
a vida é um prazer 
daqueles que dói que se farta, 
daqueles tipo ginásio, sabes?, 
quando a gente ao fim do treino
não sabe se está a sorrir
ou a engolir o choro
porque deixou tudo o que tinha
no chão molhado de suor e pensa: 
não tenho mais nada, não há mais: 
não há braços, pernas, 
ar no peito, o que é isso?, 
não há corpo e é um mistério 
permanecer de pé 
a caminho do balneário.