21 de julho de 2015

Stand up

STAND UP
É Verão lá fora,
cá dentro é só calor
e o Cão tão velho
a respirar por sibilos,
o coração em esforço -
o veterinário diz, é assim,
está a fazer a medicação,
é assim.
Tenho o sono muito leve,
aéreo, cheio de sonhos,
acordo mil vezes e agora
mil e uma para ir ouvir
o Cão a dormir - se ele ressona,
o mundo é bom.
Quanto a mim,
faço sumo verde e a Mãe em visita
diz, todos os dias sumo e não te vejo
melhor e eu respondo, mas Mãe, 
se não preciso de fazer medicação para
as alergias, nem bomba nem nada,
estou melhor… Não é isso, é o resto. 
O resto? O resto é assim. 
E não posso gastar a atenção 
em dói-me aqui
ou em não consigo,
desloco o pensamento
para a prancha a deslizar lentamente
no rio do futuro, como se fora hoje,
agora, já,
stand up paddle é
o meu tipo de coisa feliz, como foi passear
de bicicleta com o Cão no cesto,
a lamber o vento.
Não se pode viver sem perder.
A força. O querido Cão. A gente que amamos.
Mas podemos remar.