13 de fevereiro de 2015

Happy at heart

Claro que o meu maior sonho não se realizará: não vou acordar mestre em Shaolin ou Wudang. Por outro lado, tenho uma alegria, penso que infantil e absoluta, com as impraticáveis artes marciais de ecrã - são a minha consolação ali ao ladinho do meu rico Steiner, do meu Borges, do meu... meus queridos todos.
Estou sempre à espera que isto me passe, e a troika e tal, e ai a minha vida, qualquer coisa que me dê uma credibilidade cínico-depressiva, enfim, um estado do humor mais compatível com o mundo intelectual. Qual o quê. Nada. Nicles.
Culpo a meditação, o qi gong e a cabrinha da yoga que está cada vez mais bonita por causa da prima Stella McCartney.
E um dia destes, se o qi me continuar a correr bem, começo a treinar para a meia maratona - posso não acordar mestre em Shaolin ou Wudang, mas palpita-me que adorava celebrar o meu 50º aniversário a correr uma maratona inteira e preciso de uns aninhos de treino para chegar à meta.