16 de novembro de 2013

Só sabe amar e mais nada

A OCULTA SEMENTE
A tua língua deixou cair a semente das tuas palavras no meu coração.
Onde estavas que não ouviste os provérbios pela boca iluminada de Salomão? 
É tão fértil o músculo que ama. Só sabe amar e mais nada. Compassadamente,
uma e outra vez, repetindo muscular o Verbo, ininterruptamente a empurrar 
a circulação da semente, uma e outra vez, sanguínea, o sopro inteiro sempre na duração
das estações. Assim cresce no tempo a árvore. Se descobre a flor. Rebenta o fruto. 
A ele mordeste, comeste com gosto e à oculta a semente. E depois, beijaste-me tanto. 
Disse o rei: 
a vida e a morte estão no poder da língua, 
quem amar a palavra comerá do seu fruto.