22 de novembro de 2012

AMOR - GUI ABREU DE LIMA


Este o foi desafio do Cão à bloga. Chegou o primeiro texto - merci. É o da Gui Abreu de Lima, do Delito de Opinião. Não vos disse que o amor cabia perfeitamente numa página A4? Pois ainda sobra espaço...


Meu amor vou-te deixar...

Tão convincente és no abandono e nunca cumpres. Acabas sempre aqui. Sufocado de saudades, a roer queixumes, atraiçoado pela voz maldita que reivindica o que é teu. Só teu, dizes. A posse é a conquista deste vai e vem.

Tão convincente eu no teu abandono que me vence. Na aceitação com que remato o desespero, na persistência que imprimo à esperança, na culpa sacudida docemente dos teus ombros, dos meus. Voamos outra vez.

Tão convincentes somos neste embalo que a nenhum ocorreu ainda – meu amor, para a alma, cada abandono é sem sentido e o nosso voo perde altura.