12 de outubro de 2012

Porque hoje é sexta-feira

QUANDO TU ERAS PEQUENO
Procuro no coração de pedra dos segredos
a água que na pedra corre
o pulsar que na palavra bate
a morada onde respiras
Onde estás que não vens buscar-me
para me ir contigo cair nessas horas tuas
que te doem todo
que moem tudo
que te riem muito
arredondam o tempo nas esquinas
e assim te cruzas contigo quando
o alecrim se agarra às ideias
quando o fumo às paredes
quando o cuspo à raiva
quando a força aos dentes
o frio às mantas o sol à sede
o sal do mar aos cabelos
e tu tão crescido
por dentro da infância tua
lugar sem idade
Vou-te amar quanto tu eras pequeno