7 de outubro de 2012

Evangelho Segundo a Cabeça de Cão


 


[Do filme de George Cukor, My Fair Lady, só esta linha. Hoje. Sim, palavras de sabedoria por lá são à fartura, mas, mal comparado, são como os doces: unzinho chega que não vos quero para gulosos e depois, ó, penitenciados.] 

Eliza Doolittle: Come on, Dover, move yer bloomin´ arse!

Cabeça de Cão : Palavra da Salvação. 
Leitores do Cabeça de Cão: Estou em crer que há uma blasfemiazinha qualquer nisto...
Cabeça de Cão: Já a minha avó, que tinha um vício de janelas abertas para luz e ar a rodos, dizia: pulmões velhos precisam de ar novo. Em tudo é preciso ar novo: do sangue à cultura, da sociedade ao pensamento. A consanguinidade, qualquer que ela seja, mais cedo que tarde, apodrece e mata os dias e a vida. Dimanche há mais.