2 de agosto de 2012

Porque hoje é quinta-feira

MIL QUILÓMETROS TODOS PARA VOLTAR
Não sou romântica
não suspiro entre ah rosas
caixas de recordações
lixem-se
Mas como digo
o amor
dizem ah romântica
enquanto isso vejo salmões
Digo amor como quem pensa
Faulkner
romantismo de salmões:
um dia no mar da migração
dispara a hora e mata o tempo
abre-se a vida e a bússola
mil quilómetros todos para voltar
É só isto
O amor é o primeiro aceno da morte
lembrança de inteireza
floração completa da flor
mesma a dor em contra corrente rio acima
dor para educação do corpo – hora da vida hora da morte
dor natural não dói 
o tempo certo é fora do tempo 
 Romantismo de salmões:
rio acima a voar
a alma tal o corpo quer regressar a casa